Imprensa

Imprensa

Inovação vai criar 50 mil empregos (Diário Económico)

2013-11-25

O Horizonte 2020 prevê um investimento de 79 mil milhões de euros em ciência e inovação nos próximos sete anos.

Entrevista a Graça Carvalho

O maior programa do mundo de investimento em Ciência e Inovação acaba de ser aprovado pelo Parlamento Europeu. Um programa a que poderão concorrer investigadores, universidades e empresas portuguesas. Uma das novidades é a criação de um 'voucher' inovação para as PME, explica GRAÇA CARVALHO, eurodeputada portuguesa.

- Um dos objectivos do "Horizonte 2020" é fomentar o emprego jovem?

- O próximo Programa Quadro de Investigação e Inovação foi desenhado com um orçamento dos 79,4 mil milhões de euros, montante equivalente ao valor do empréstimo da 'troika' a Portugal, o que representa um crescimento considerável, em relação ao 7o programa quadro, de 52 mil milhões de euros. Um dos objectivos é estimular o emprego jovem. O financiamento da mão-de-obra, associada aos projectos aprovados, só será feito a quadros que sejam contratados de novo para os executar. As estimativas apontam para um impacto. de criação de 50 mil postos de trabalho directos com o programa e uma subida de 1,5% da taxa de emprego média da UE, como resultado deste investimento em Inovação e Ciência.

- Pretendem fomentar o crescimento económico através da aposta na inovação?

- Pretendemos com este programa-quadro criar as condições para que este investimento em inovação e tecnologia tenha repercussões favoráveis na criação de emprego na Europa. Evitando, assim, que estas empresas que convertem conhecimento em riqueza se instalem fora da Europa.

- Como é que o programa pode contribuir para ajudar a Europa a sair da crise?

- O "Horizonte 2020" é crucial para a Europa sair da crise. O desemprego jovem é um problema gravíssimo e que se tem espalhado pela Europa. Promove o emprego através da contratação directa de recursos humanos, por exemplo, por cada mil milhões de euros o "Horizonte 2020" financia quatro mil PME inovadoras; ou 600 investigadores e respectivas equipas através das bolsas "ECR"; ou 2.500 bolsas Marie Curie; ou 240 projectos de grande dimensão em que participam em média 2.600 entidades da indústria e academia. O Programa prevê a criação de bolsas de retomo dos jovens investigadores para evitar o 'brain drain'.