Imprensa

Comunicados

Acordo nas negociações do Programa Quadro de Investigação e Inovação 2014-2020

2013-06-25 - Informação à Imprensa

Todas as prioridades para Portugal foram incluídas no Programa

As negociações do Horizonte 2020 entre o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Comissão Europeia, finalizaram hoje em Bruxelas. As reuniões entre as três instituições, ou "trílogos", começaram em Janeiro de 2013 e concluíram com sucesso.

O Relatório do Programa Específico de Execução do Horizonte 2020 da autoria de Maria da Graça Carvalho, reage ao documento que a Comissão Europeia apresentou em 30 de Novembro de 2011 e define em detalhe as temáticas prioritárias para a investigação e inovação para o período de 2014-2020. As três prioridades estabelecidas no Horizonte 2020: a «Excelência Científica», a criação de «Liderança Industrial» e respostas aos «Desafios Societais». O texto foi aprovado por unanimidade na reunião da Comissão de Indústria, Investigação e Energia do Parlamento Europeu em Novembro do ano passado. 

Para a deputada europeia "este programa é o instrumento de financiamento mais importante do mundo para inovação e investigação. O Horizonte 2020 é crucial para a Europa sair da crise. Se a Europa quer crescer tem de ser competitiva em inovação e investigação".

O próximo Programa Quadro de Investigação e Inovação foi desenhado com um orçamento na base dos 70 mil milhões de euros, o qual foi aumentado consideravelmente em relação ao anterior Programa, de 52 mil milhões de euros. O valor final está sujeito às negociações do Orçamento Global Europeu que decorrem neste momento.

O Horizonte 2020 abrange todas as áreas científicas desde saúde às tecnologias de informação e comunicação, materiais, segurança e energia.

A relatora introduziu um conjunto de áreas de grande importância para Portugal tais como uma linha de investigação autónoma para o Mar e outra para a Herança Cultural. Foram ainda incluídos tópicos para a Investigação em Fogos Florestais e para a Gestão da Qualidade da Água. "A inclusão destas prioridades, declara Graça Carvalho, permitirão aumentar a participação de Portugal no Horizonte 2020 e tirar deste programa os benefícios que ele encerra".

O Programa tem como grande prioridade o emprego dos jovens investigadores, nomeadamente através da criação de bolsas de retorno para evitar o brain drain e os vouchers para os jovens empreendedores.